Now Playing - Games


Tópico em 'Jogos & Consoles' criado por martec em 08/04/2014, 08:38.
Páginas (20): « Anterior 1 2 3 4 5 ... 20 Próximo »
Avaliação do Tópico:
  • 0 Votos - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
0 votos
292 respostas neste tópico
 #16
Graças ao PC q guardo no fundo do meu cocorô Thumbdown tive q migrar de volta pro xbox.
joguei muita coisa esse ultimo mês(até crash, q nos consoles de 2º e 3º geração é um lixo), mas no momento por falta de opção mesmo estou jogando Dinasty Warriors 7.

Não tem muito o q saber sobre o jogo, é igual a todos os q vieram antes e provavelmente os q virão depois tbm. vc joga com um dos 50k de personagens disponiveis e sai enfrentando exercitos praticamente sozinhos, nada demais.

então pq eu estou jogando issu?! bem, apesar de ser um jogo simplese bota simples nisso, a campanha e os personagens são legais e bem diversificados, e pra fechar 100%, vei...demora...
são oficialmente 3 campanhas de umas 5 horas cada(se vc for ler os textos e ver as cutscenes e cgs), e quando fecha as 3 campanhas, libera a 4º q é mais ou menos do msm tamanho. depois tem um modo "conquest" onde liberamos armas, personagens e outras babaquices inuteis...

nota: 08/10. mesmo com a simplicidade do gameplay, simples não significa facil. temos q prestar atenção nas informações q surgem na tela o tempo todo, pois geralmente, temos q garantir a segurança de um npc, e saber a hora de proteger ou atacar é crucial para avançar na campanha. a história e boa e os personagens são muito diversificados e fodas. vale apena perder algumas horinhas jogando Alegre

P.S.:Btw, ainda prefiro sengoku basara  Tongue
Responder
 #17
Não tenho consoles, então só jogo no pc, e as vezes algo no tablet.

O que estou jogando atualmente é:

Spoiler: Skyrim  
Gostei do jogo, mas após um tempo fica muito fácil e repetitivo, e também é cheio de bugs, pelo menos umas 10 quests eu tive que refazer por problemas na hora de entregar, algumas mesmo entregando simplesmente não completava, outras o NPC não fazia o que devia para prosseguir com a sequencia da quest e outras não dava pra entregar.
Caso alguém não saiba, o jogo é infinito, as quests são geradas aleatoriamente, com exceção da história principal, dlc's e tal, mas após terminar a guerra civil, derrotar Miraak, terminar a quest Dark Brotherhood, Guilda dos ladrões, Companions e outras, o jogo se resume a fazer quests repetitivas, matar dragões (que fica muito fácil após alguns níveis) e upar.
Uma boa opção para tirar um pouco da mesmice é instalar mods, que por sinal existem muitos.

Spoiler: NFS: Rivals  
Esse baixei só pra jogar de vez em quando, dificilmente jogo mais que 2~3h semanais.
Algo que não esperava, ou pelo menos nos outros Need for Speed que eu havia jogado não tinha e tem nesse, é a opção de jogar como policial.
Segue o mesmo estilo dos demais NFS, com essa exceção que citei, se é que as ultimas versões antes dessa já não tinham isso.

Spoiler: The Witcher  
Baixei o 1º antes de tentar o 2, comecei a jogar hoje e terminei apenas o capitulo 1, falhei em varias quests por matar a Besta muito cedo, que consequentemente leva a matar também o reverendo e outros NPCs.
Hm por sinal tem umas cenas... Booty mas só tem o som dos gemidos e vc ganha uma carta da NPC semi-nua.

Spoiler: Hearthstone  
Joguinho de cartas da Blizzard.
Ultimamente ta igual o NFS, logo muito de vez em quando pra jogar uma ou duas partidas.
Responder
 #18
A eu to zerando skyrim de novo , mais agora no master ...
porque na primeira vez , eu zerei e tava no lvl 40 ainda e era um char masculino .
Agora criei uma fêmea arqueira :33

Tbm to jogando Deadlight que tava gratis lá na live.
O jogo é legal , é tipo zombie de plataforma.

(19/04/2014, 08:29)J.C. Escreveu: Graças ao PC q guardo no fundo do meu cocorô Thumbdown tive q migrar de volta pro xbox.
joguei muita coisa esse ultimo mês(até crash, q nos consoles de 2º e 3º geração é um lixo), mas no momento por falta de opção mesmo estou jogando Dinasty Warriors 7.

Não tem muito o q saber sobre o jogo, é igual a todos os q vieram antes e provavelmente os q virão depois tbm. vc joga com um dos 50k de personagens disponiveis e sai enfrentando exercitos praticamente sozinhos, nada demais.

então pq eu estou jogando issu?! bem, apesar de ser um jogo simplese bota simples nisso, a campanha e os personagens são legais e bem diversificados, e pra fechar 100%, vei...demora...
são oficialmente 3 campanhas de umas 5 horas cada(se vc for ler os textos e ver as cutscenes e cgs), e quando fecha as 3 campanhas, libera a 4º q é mais ou menos do msm tamanho. depois tem um modo "conquest" onde liberamos armas, personagens e outras babaquices inuteis...

nota: 08/10. mesmo com a simplicidade do gameplay, simples não significa facil. temos q prestar atenção nas informações q surgem na tela o tempo todo, pois geralmente, temos q garantir a segurança de um npc, e saber a hora de proteger ou atacar é crucial para avançar na campanha. a história e boa e os personagens são muito diversificados e fodas. vale apena perder algumas horinhas jogando Alegre

P.S.:Btw, ainda prefiro sengoku basara  Tongue


J.C qual sua gamertag na live ?
Responder
 #19
Archer no skyrim presta?

pqné, no oblivion só presta depois do level 10, e PUTA QUE PARIU que sacrifício pra upar Archer...
Responder
 #20
(20/04/2014, 01:48)Best Escreveu: Archer no skyrim presta?

pqné, no oblivion só presta depois do level 10, e PUTA QUE PARIU que sacrifício pra upar Archer...

Sim best , e é OP .. se souber encantar o arco direito , ele mata um dragão com 1hit
Responder
 #21
Porra... vsf ein.

No Oblivion tu leva 5 flechada pra matar uma gárgula... Isso com a primeira flecha com bônus de stealth.

Ai tem os Daedric Knights que PORRA SÃO IMORTAIS.
Primeiro Gate to Oblivion que eu entrei, tava com 120 flechas. Acabaram no terceiro Daedric Knight que apareceu...

Ai na hora que eu consigo um Arco com enchant de fogo, eu entro numa missão (e olha que não era side, era da main!) que faz vc perder todos os seus itens...
Responder
 #22
(20/04/2014, 01:47)Kim Escreveu: A eu to zerando skyrim de novo , mais agora no master ...
porque na primeira vez , eu zerei e tava no lvl 40 ainda e era um char masculino .
Agora criei uma fêmea arqueira :33

Tbm to jogando Deadlight que tava gratis lá na live.
O jogo é legal , é tipo zombie de plataforma.



J.C qual sua gamertag na live ?
Não tenho, não entro naquele troço.
entrei uma vez e ele mudou o nome do meu perfil pra uma coisa esquisita e cheia de numeros. não consegui mudar de volta para o q era, então desliguei a conexão, deletei meu perfil e comessei tudu dnovo do zero...
porisso meu xbox viverá até seu ultimo dia longe da live, simples assim Alegre
Responder
 #23
@J.C.

Concordo contigo jc. Adoro o basara do wii
É show jogar no modo multiplayer

Até hoje não consegui fazer skyrim funcionar no meu PC. Mas me contento com Oblivion. Eu queria ser summoner mas a inteligencia artificial não me ajuda -q

Fiquei agora viciadinho em jogo de celular. Fora Ayakashi que tem tópico aqui na área de jogo, já baixei tudo que tem na Apple Store pra testar. Dropei 90% 5 minutos depois de baixar e 9% uma semana depois.

Dos 1% restantes consegui 2 que não conhecia. O segundo eu devo acabar apagando semana que vem mas o primeiro realmente é legal

MiniBattle

É gunbound pro celular. Muito bem feito o jogo. Tem todos os elementos de um MMO como Grand Chase no celular e nem ocupa tanto espaço.

O segundo até perdi a vontade de escrever sobre. No final das contas não presta mesmo. É um jogo de batalha de monstros tipo Pokemon + Candy Crush nome é camp alguma coisa. Só que esse jogo é muito apelativo com cash. Cara é um saco. Toda hora fica oferecendo cash cash cash ai me irritei

Outros legais que tenho:

Touhou Fantasy Night

Yu-Gi-Oh BAM!

Osu!

Shin Megami Tensei I

The World Ends With You

Ayakashi:Ghost Guild

Zynga Poker

Scriblenauts
Responder
 #24
(20/04/2014, 01:47)Kim Escreveu: A eu to zerando skyrim de novo , mais agora no master ...
porque na primeira vez , eu zerei e tava no lvl 40 ainda e era um char masculino .
Agora criei uma fêmea arqueira :33

Haha Kim, também "zerei" muito cedo, e também foi mais ou menos level 40, mas vou esperar um tempo pra jogar de novo.

Spoiler:  
[Imagem: 8gVQ7.jpg]

Mais alguma recomendação? -q
Zoeira, Castlevania ainda nem abri e tem mais uns 4 jogos baixando no utorrent.
Responder
 #25
Upa esses icons no DA, Diow

Lindos desse jeito vai ganhar vários seguidores <3
Responder
 #26
Então, quem gosta de Ragnarok?

http://blog.treeofsavior.com/

Criador de ragnarok ta há anos pra lançar mas finalmente sairá Tree of Savior na Coreia e no Japão



Já podem ir escolhendo as classes. Vô querer ser sacer

@PovoquejogavaRagnoserverdoFlavio @Zack Fair @Lostheaven @ins @melhorquenãogostadesermarcado
Responder
 #27
(01/05/2014, 09:17)Esteves Escreveu: Então, quem gosta de Ragnarok?

http://blog.treeofsavior.com/

Criador de ragnarok ta há anos pra lançar mas finalmente sairá Tree of Savior na Coreia e no Japão

Link youtube: http://youtu.be/XXBuPMfG5y4

Já podem ir escolhendo as classes. Vô querer ser sacer

@PovoquejogavaRagnoserverdoFlavio @Zack Fair @Lostheaven @ins @melhorquenãogostadesermarcado

Eu provavelmente vo tankar agora n sei de que, n sei quem falou mas são 52 classes '-'. Tem pra todo mundo e ainda sobra.
Responder
 #28
Só jogando mahjong no tenhou com a galera do minna suki mesmo.
Responder
 #29
Poxa Esteves, obrigado pela consideração, <3

Eu já tava ligado nesse jogo ai há tempos, mas não tinha idéia de que ele já tava pra ser lançado.

Estou com um ENORME pressentimento de que vai ser um fracasso tão grande quanto Ragnarok 2.

E bem... Sei lá. Eu sempre jogo de healer.
Mas nem sei se vou conseuir jogar isso, né.

Ultimamente não tenho tempo nem pra Dormir, muito menos pro WoW... Magina pra um segundo jogo?
Responder
 #30
[Imagem: renascer.jpg]

Reviews faggentas das minhas aquisições do Bazar do Gayben, parte I - ALL HAIL SUPERGIANT GAYMES

Spoiler: Bastion  
Bastion é um jogo que sempre achei bonitinho etc e tal e que me recomendam desde sempre, então desde o ano passado pendurei ele - junto com Portal 2 - na minha lista de desejos pra summer sale desse ano.
O jogo em si é bem simples. Basicamente tu avança pelo mapa descendo o pau em qualquer coisa - literalmente qualquer coisa - que aparecer pela sua frente, ganhando poderzinhos e coletando fragmentos do mundo [aka dilmas] e itens pra dar upgrades nas suas armas.
Entretanto o jogo possui 4 pontos fortes:
01. A narração do Rucks - Melhores narradores ever? Melhores narradores ever. A narração do Rucks é simplesmente perfeita. Não só porque a voz dele é foda pra caralho e tu fica contando os minutos pra ter orgasmos, digo, pra conhecer mais do plot quando ele vai falar algo de novo. E a forma como a narrativa se dá é bem majestosa, também. O plot [que é o próximo item da lista] de Bastion é bem... ambíguo e confuso, no mínimo. A narração ajuda a manter o clima disso, sendo que a história só progride quando seu avanço pelo jogo progride, então você nunca sabe o que está por vir, tudo se mantém secreto até que o Menino, nosso MC, faça algo que desencadeie os relatos do Rucks.
02. O plot - Apesar de confuso de início, o plot é bem simples. Não vou detalhar nada aqui pra não dar spoilers, masenfim. O bom dele é que ele abre um espaço amplo pra reflexões, seja de teorias de quem são os personagens, do que é aquele mundo às interpretações das diversas metáforas que o jogo joga -huh- na sua cara. E o(s) final(is), também... Tecnicamente Bastion tem 2 finais, que podem ser desmembrados em 4 devido a uma certa escolha ali. Cada final te leva a interpretações diferentes e cada um te deixa uma sensação única. São simplesmente maravilhosos :'D
Spoiler:  
E aquela cena quando você escolhe salvar o Zulf... Aquilo foi tão triste, tão bonito, tão nobre, tão tapas na cara. Geralmente odeio bancar o bonzinho em jogos porque se tivesse em situações similares irl eu com certeza não agiria como tal, mas em Bastion simplesmente não dá. Não tem como fazer o Menino ser "mal", vingativo. E aquela escolha levou a um desenrolar tão inesperado e tão profundo que, na boa, vai ficar na memória.
03. A ost - A Supergiant manja muito, mas MUITO de sonoplastia. Nos jogos dela você se lembra de como a música pode ser um fator determinante da sua percepção e de como você absorve o que lhe é exposto. As músicas são muito intrincadas na história, na história dos lugares, nos atos dos personagens. Às vezes o clima chega a ficar místico, surreal, quando como você encontra a Zia pela primeira vez. Fora que as músicas são lindas, muito bem feitas. Definitivamente vou comprar a OST quando tiver dilmas na carteira.
04. A arte divosa da Jen-Zee - Minha maior decepção depois de terminar Bastion e Transistor: cair na real que o mundo irl não tem backgrounds feitos por ela ;-; Na boa, a arte dela é simplesmente linda e incrementa muito à sua experiência no jogo. Claro, char design e cenários sempre são elementos muito importantes, mas aqui - e ainda mais em Transistor - eles são quase fatores principais. O jogo se torna expressivo. Os cenários te contam histórias e te levam a imaginar coisas sobre aquele mundo que nunca são expostas no jogo. Fora que a sensação de estar andando num desenho, numa pintura... é incrível. "Ah, Name, mas isso você pode ter em qualquer jogo 2D". De fato, mas aqui a situação é diferente. É, sei lá... não dá pra esclarecer de forma contundente em palavras... Só digamos que esses elementos te fazem mergulhar de alma na obra.

Spoiler: Transistor  
Mais uma perfeição que a Supergiant deu à luz. Meu hype pro jogo era altíssimo desde que ouvi falar dele pela primeira vez, o que foi pouco antes do lançamento, então nem sabia que a Supergiant é tudo que é pois nem tinha experimentado Bastion ainda. O trailer de lançamento já me comprou. Ao som de "Old Friends" e com aquela narração e aqueles cenários, já ficava sem palavras. Mandava o trailer prazamiga falando "olha isso, cara, o trailer por si só já é uma obra de arte". Então o jogo saiu. E a summer sale veio logo depois. Só que o jogo tava custando 30 dilmas e eu não tinha dinheiro. Felizmente mamai deixou eu parcelar a compra e pude comprá-lo, junto com Bastion, Portal 2 e os FFs.
Mas sem mais delongas, já deixando claro que esse provavelmente foi o melhor jogo com que já me deparei até hoje. Ou um dos melhores, já que odeio desmerecer meus favoritos (que não são favoritos à toa -q). Talvez essa sensação de game of the life seja por causa do alto que hype que tinha por ele, o que se somou à experiência impecável que o jogo proporciona. Mas de uma forma ou de outra, vou aproveitar essa sensação ao máximo, por enquanto.
Pontos fortes, enfim:
Red: "Red is the new Elizabeth", como disse uma dazamiga, que terminou o jogo antes de mim. Melhor descrição possível não há. Não tem como não se apaixonar pela Red, pela sua pureza, pela sua perseverança, pela sua humanidade. Red é uma protagonista inconvencional. O Menino de Bastion também era, só uma pessoa comum que foi jogada nos eventos ali. Só que no caso dele havia as habilidades de luta e a força que ele conquistou com seu trabalho antes da Calamidade. Red não teve nada disso. Ela era uma cantora que protestava através de suas músicas, que tocavam as pessoas no seu mais íntimo. Tá, é um "poder" e tanto, mas nada útil no combate a que Red é exposta no jogo, muito mais considerando que ela perdeu a voz. Mas mesmo sem voz e se comunicando indiretamente através do Transistor (que narra a história de seu ponto de vista, que muitas vezes se iguala ao da Red) ou então via mensagens de texto a la Celty, os ideias de Red são perceptíveis desde o início: acabar com a putaria daqueles que querem destuir a cidade e vingança. Vingança que você sabe que existe, mas não tem certeza de que pelo que é até o final. Outro ponto forte de Red é como ela é humana. O Transistor é uma espada gigante a la set lv 99 de algum RPG, e Red, com seu corpo frágil e fraco, arrasta a espada por todo canto, o que à primeira vista parece só mais um efeito especial. Mas Red tem dificuldade em carregar aquela arma consigo, então simplesmente a arrasta, gemendo e suspirando de cansaço ao longo do caminho [sem booty com a Red, pls]. Outra parte que enfatiza o lado humano de Red é, bem no começo, quando você encontra o poster do último show dela. Você tem a opção de dar skip ou não [obviamente não dei pra ver o que acontecia]. Enquanto o Transistor falava "ei, está tudo bem, vamos seguir em frente" e coisas do tipo, Red fica estática, apenas observando seu passado de glória que ela perdera há cinco minutos e nunca mais retomaria. A falta de reação dela é bem... facada, ainda mais quando o próprio Transistor vê que não deveria se intrometer naquele momento mais, enfatizando ainda mais as sensações transmitidas pela cena. Enfins, Red 10/10.
Narração: a narração aqui é fator determinante para a compreensão da história, dos personagens e mesmo da Red. Ela é feita pelo Transistor, a espada que Red carrega consigo, que você logo percebe conter dentro de si a "alma" do homem que ela ama. Todos os fatores da narração do Rucks em Bastion se aplicam à narração do Transistor, mas ele ainda tem algo mais. O Transistor explicita a relação dos dois, como era a Red antes de tudo aquilo, suas expectativas pro futuro. E isso enriquece muito sua experiência, tornando o jogo ainda mais verossímil.
Ost e, de novo, arte da Jen-Zee: aqui a música assume escalas inigualáveis. Às vezes as músicas são mais importantes pra sua compreensão de tudo do que suas ações no jogo, em si. E, novamente perfeitas e impecáveis, elas entram na alma - bem como a descrição das músicas da Red quando ela ainda cantava. Seja na música de introdução (a mesma do trailer, "Good Friends"), seja na de algum cenário, seja na de alguma batalha, seja com a Red hummando as canções que não poderá mais cantar, as músicas em Transistor despertam sensações únicas. A arte da Jen-Zee, nem precisando comentar mais sobre sua perfeição, atinge seu auge aqui. Os cenários, que você percebe de cara serem futuristas mais ainda assim conservam elementos clássicos, assumem uma característica única. Rapture até então era meu ideal arquitetônico, com sua art decó futurista, mas o noir cyberpunk de Transistor teve que tomar a dianteira. Fora isso, vários elementos visuais abstratos são constantemente usados no jogo, seja nos cenários, nos personagens ou em imagens que simplesmente aparecem acompanhando a narração. Isso, somado à OST, torna o jogo extremamente estético, no sentido mais "perceber pelos sentidos" da palavra. Como disse pro Lost, Transistor é basicamente uma instalação transfigurada em um jogo. Não é algo pra jogar e se entreter, simplesmente. É algo pra sentir, pra vivenciar. É uma galeria de arte absurdamente expressiva com a qual você pode interagir e ainda mais: fazer parte. Ah, definitivamente vou comprar a OST desse no futuro, também.
Sistema de batalha: Transistor é um RPG de estratégia, ponto. Mas sem ATB, sem barra de mana, sem nada que nenhum jogo do gênero tenha. Você tem habilidades que você adquire para usar no Transistor, e essas habilidades, sendo "almas" de outras pessoas mortas jogo afora, contam histórias. E mais, você pode combiná-las de todas as formas: como ativas ou como passivas (podendo adicionar efeitos extras na execução de x habilidade), e ainda pode testar várias combinações e ver qual é melhor pra cada situação. E o próprio jogo te leva a isso. Em Transistor não há morte. Sua barra de vida acaba e você perde uma habilidade, simples. 2 checkpoints pra frente você pode retomá-la. Até lá, você tem que repor alguma outra habilidade e experimentar novas combinações e sequências. As combinações entre execuções das habilidades são outro fator característico de Transistor. Você tem o "Turn", que é a capacidade de literalmente parar o tempo e se locomover pelo mapa aplicando diferentes execuções pra derrotar seus inimigos. Ver os resultados das suas combinações - muitas vezes falhos - é simplesmente demais xD
Spoiler: O final  
Colocando em pratos limpos, o final te deixa sem palavras. Sem saber o que sentir. Você não sabe se foi bom ou ruim, se foi triste ou feliz, nem sabe se sequer é real ou mais uma metáfora. É uma explosão de sensações, assim como todo o jogo é, e você não está mais preparado pra viver depois de presenciá-lo. E na boa, pra Transistor não teria final melhor.

Ambos os jogos são incríveis, verdadeiras obras de arte, 10/10, instant favourites.
E agora a Supergiant é minha produtora favorita (também esse povo merece um bom fag).
Agora que terminei eles não sei mais o que fazer da vida, mesmo com mais jogos pra terminar ali. Damn ;-;
Responder
Páginas (20): « Anterior 1 2 3 4 5 ... 20 Próximo »

Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes