Playing - Animes


Tópico em 'Animes' criado por martec em 31/03/2014, 08:11.
Páginas (43): « Anterior 1 ... 39 40 41 42 43
Avaliação do Tópico:
  • 1 Votos - 5 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
1 votos
642 respostas neste tópico
 #631
Densetsu Yuusha no Densetsu: O que faz esse anime valer a pena são sem dúvida os personagens. A Ferris acho que é uma das melhores loiras de todos os animes da face da terra. O protagonista também é bem desenvolvido e divertido, além de quando ele fica descontrolado deve ser um dos berserks mais l0k0s dos animes, a voz do Lelouch(Fukuyama Jun) faz o bicho ficar ainda mais aterrorizador. Aliás, falando em voz, o jeito que as magias são conjugadas nesse anime acho que é o mais legal que eu já vi "What I seek is lightining, Izuchi!!"(apesar de ser em jp) O Sinon tem todo um impasse moral e vai sendo corrompido aos poucos pelo cargo de Rei dele, um dos bangs mais interessantes. Na primeira metade, apesar das tretas políticas serem bem interessantes, a falta de foco na Ferris e no Reiner, me incomodooou muito, a interação entre eles é muito comédia(normalmente é a Ferris judiando o Reiner e falando sobre dangos). Mas com o tempo quando os núcleos se juntam fica cada vez mais divertido. O anime em si parece ser meio corrido, tinha episódio que tinha 2589759287589 coisas acontecendo e alguns partes poderiam ter sido 10x melhores. Esse anime é criado pelo mesmo autor de Owari no Seraph, então tem tudo que tem nele, bromance, protagonsita entrando em Berserk, morte pra caralho, etc. Apesar de eu não achar OnS lá essas coisas... As partes de romance quase me davam um ataque, queria muuuuito uma segunda temporada pra ver a Ferris com ciúme da mina ruiva lá, mas provavelmente nunca vai acontecer T-T
8/10

One Piece Film: Gold: Colocaram tudo que quer em One Piece nesse filme! Tem umas partes de comédia muito interessante, vários fanservices, como o Rob Lucci e o Sabo. O Gear Fourth como sempre roubando a cena entre outros. As akuma no mis foram muito bem usadas nesse filme, como a fruta da sorte e tal! Dessa vez a donzela em perigo foi o zoro rs Cada vez mais eles usam ecchi, mas realmente não incomoda, nunca é fora de hora e é quase sempre comédia. Eu senti falta deles aproveitarem mais os personagens, como o Franky ou o Sanji. Mas a melhor coisa do filme foi eles tentando dar uma de missão impossível, eu tinha certeza que o Luffy ia foder com tudo KKKKKKK
Nice movie
8/10
Responder
 #632
Eureka Seven AO Final Episode: One More Time - Lord Don't Slow Me Down: Depois de tanto tempo a Bones resolveu lançar especiais de Eureka Seven AO mostrando mais da parte final. Preenche algumas lacunas que estavam faltando, mas ainda assim não é o suficiente para salvar a série de tv. Foi interessante ver todas as interações que o Ao fez enquanto preso no espaço-tempo. O que mais gostei foi a resolução que foi dada a Elena. Ficou bacana ela mais velha salvando a verdadeira Elena criança que ela tinha pego o lugar na linha do tempo da série de TV.
[Imagem: pHI4KCL.jpg][Imagem: hFBjvnz.jpg]

Gantz:O: O anime mostra o arco de Osaka aka arco da missão do alien Nurarihyon todo repaginado e com mudanças para se encaixar com a temática do filme. Nele o Kurono morreu para o chefe dos aliens Oni e o Kato é um total "novato". A animação CGI está muito bem feita e segue o trend das grandes animações 3D que o Japão está fazendo ultimamente em alguns filmes como no Captain Harlock e Appleseed Alpha - este último sendo uma das animações 3Ds mais estonteantes que vi em animes nos últimos anos. Voltando ao Gantz, mesmo com a série de mudanças a história ainda funciona bem como um grande resumo do arco de Osaka. Porém isso tem o seu preço, que nem o relacionamento do Kato com a Anzu que ficou extremamente forçado pela falta de tempo. Mas o básico que faz Gantz está lá, desde o clima ao mistério e violência. Sem dúvida o filme é mais aproveitado por quem já conhece a história do anime/mangá, mas até certo ponto ele ainda serve de porta de entrada satisfatória para o mundo de Gantz.
[Imagem: 5gAKlTe.jpg][Imagem: VnkghmA.jpg]

Blame! Movie: Então eles resolveram pegar uma pequena parte do mangá, modificando e expandindo o bastante para se tornar um filme. E o ponto de vista dos acontecimentos mudou também, e dessa vez se passa pelo olhar da Zuru e não do Killy. Enquanto isso bota outra dinâmica para a narrativa, acaba tirando um pouco do apelo do Killy. E senti o filme bastante mainstream, deixando de lado o clima gótico e noir com um pé no grotesco que o mangá apresentava. Nihei já comentou como ficou feliz de ir para o mainstream com o Sidonia e o sucesso que obteve. Pelo visto ele não mais pretende voltar para o estilo de antes. A animação da Polygon Pictures está muito competente, com cenas de ação legais e efeitos bacanas. Porém aquele jeito travado quando os personagens andam que nem em Ajin e Sidonia continua. Os cenários estão sensacionais, mas ainda assim não tem o mesmo peso artístico do mangá infelizmente. Mas não culpo, é muito difícil alcançar aquele nível. No fim ficou mais com cara de prólogo do que de um filme completo. Gostaria muito de ver outros personagens como o Dhomochevsky e a criatura de silicone Pcell, mas me dou por satisfeito com a presença da Sanakan e claro, a melhor de todas, Cibo.
[Imagem: rawqyHS.jpg][Imagem: 3F0uJSI.jpg]

Lupin the IIIrd: Chikemuri no Ishikawa Goemon: Anime que continua com a pegada de Lupin the Third: Mine Fujiko to Iu Onna. Agora o foco é no Goemon. Mas infelizmente esse foco é muito superficial, perdendo uma grande chance de explorar melhor do personagem. A história também é muita rasa e simplesmente ficou sem explicação alguma sobre quem mandou o fantasma de Bermuda (local e não peça de roupa kkk). Eu presumo que possa ser o Mamo, afinal ele apareceu no finalzinho do Jigen Daisuke no Bohyou. Ele deve fazer parte disso de alguma forma, o que creio que deve ser explicado em algum filme seguinte. E foi meio decepcionante a Vanessa Fujiko não ter ficado pelada como foi no filme e série anteriores kkkkkkk. Mas falando sério, ela só apareceu rapidamente sem nenhum propósito na história e logo desapareceu. A única coisa de destaque foi o fanservice com base na voz da Miyuki Sawashiro gemendo kkk. E não curti muito o estilo de cabelo dela, fica melhor aquele dos anos 70 ou o que ela usou no filme anterior. De ponto positivo é a animação que é phoda demais e foi um degrau acima do apresentado em Jigen Daisuke no Bohyou, que já era muito bom. As cenas de ação estão incríveis e muito bem coreografadas e a trilha sonora com aquela pegada dos anos 70 que ficou phoda também. A violência também teve bastante destaque, fazendo jus ao nome do filme. Ah sim e eu adoro esse character design!
[Imagem: Vzz6Ywu.jpg][Imagem: 0DZ5AJi.jpg]
Responder
 #633
Koe no Katachi: Cara, eu assisti esse filme, achei legal, mas não tinha entendido nem metade do simbolismo por trás dele. Esse vídeo aqui me fez gostar muito mais do filme do que antes
Spoiler:  
Responder
 #634
Ginga Eiyuu Densetsu ou Legend of the Galactic Heroes: Vou tentar dar o mínimo de spoiler possível e explicar o motivo desse anime ser uma obra prima, com todo o fanboyismo possível.
Eu li num comentário do myanimelist que o George Lucas devia desistir do nome 'Star Wars' e dar pra esse anime e concordo, mas o atual é perfeito pra um anime que mostra como "Heróis" da vida real são; pessoas que lutam com honra pelos seus ideais.
LOGH mesmo sendo a série de OVA's maior que existe, 110 episódios, não desperdiça um sequer. Até mesmo os episódios de transição sempre contribuem pro avançar da história da galáxia de alguma maneira. Com o maior cast de dubladores que existe, contendo mais de 300 personagens, cada momento de screen time é aproveitado ao máximo.
Os personagens de LOGH não são forçados em você, eles são apresentados aos poucos e vão sendo desenvolvendo com o tempo. Cada um funciona com independência, tendo sua própria história, sem ser parte da história dos outros. O anime te engana mostrando death flags, conversas a família, então você não sabe qual vai morrer, qual vai sobreviver. Além disso, é mostrado diversos lados da humanidade, sendo que os personagens são completamente humanizados, um considerado maldoso que doava parte do salário pra pessoas desafortunadas e era um ótimo pai e marido, ou outro que sempre fazia o trabalho sujo e todo mundo o odiava, pegou um cachorro na rua e cuidou dele com amor. Além disso, alguns deles são muito complexos, como o almirante Reiental ou o Oberstein, tendo um dos desenvolvimentos mais bem feitos que eu já vi em qualquer obra. Mesmo tendo todo esse foco em personagens B, ou C, você tá sempre preso na tela, sempre querendo entender o que a guerra vai levar pra suas vidas.
Esses personagens, mesmo sendo muito desenvolvidos não tiram o foco dos protagonistas, Yang Wenli e Reinhard von Lohengraum.
Yan Wenli apesar de ser um gênio em batalha e um dos maiores defensores da democracia, nunca quis ser um soldado. Ele queria ser um historiador, alguém que não participa de batalhas, nunca quis matar ninguém, só queria tomar seu vinho e viver feliz, mas por senso de responsabilidade e seu dever à democracia, além das circunstâncias não pôde fugir do destino que o foi dado. Sem dúvida um dos personagens mais bem escritos e com uma das melhores sagas que eu já vi "The Magician Yang Wen Li".
Reinhard von Lohengramm em contraspectiva escolheu lutar, escolheu lutar contra a injustiça dos aristocratas e salvar a sua irmã. Uma pessoa que anseia por lutar, que ativamente quer melhorar o mundo. Reinhard tem um carisma sem limites e usando sua inteligência ele recruta todos os talentos que ele pode para o seu lado e tenta ser o governador de todo o universo, sendo uma pessoa justa e corajosa ao mesmo.
Era inevitável que o melhor autocrata da história lutasse contra o maior defensor da democracia, muitas vezes te fazendo questionar, por que lutar a favor duma democracia podre, cheia de políticos corruptos sendo que o autocrata é justo e governa bem, e caso houvesse uma eleição ele seria eleito o presidente? Yang Wenli fala que é melhor lutar pela pior democracia do que lutar pela melhor autocracia, mostrando os motivos e os conflitos ideológicos. Sempre pelo lado realístico da coisa.
Cada batalha além de realística, é super bem pensada, mostrando os efeitos que elas causam, o círculo do ódio, a tristeza e as vantagens de se batalhar. LOGH foi uma das poucas obras que eu consegui ligar pra "honra", sem pensar que é algo idiota, mostrando como comandantes e soldados de dois lados diferentes entendem que eles estão lutando por duas ideologias, por pessoas diferentes, sem motivos pessoais.
A história vai aos poucos sempre mostrando como eles chegaram onde estão no ano 3600 e pouco, o que acontece com a humanidade, com a terra e como foram criadas a Aliança dos Planetas Livres
e o Império Galáctico, mostrando o pior e o melhor lado da humanidade. LOGH não só mostra os desméritos da guerra, mas como ela pode ser usada pelo bem.
Não sei se foi o diretor ou roteirista que fez isso, mas a narração do anime deixa ele ainda melhor, sempre explicando as coisas como se fossem capítulos da história, explicando as circunstâncias que levaram tal coisa a acontecer. E sempre falando o que aconteceria se em "um minuto ele não tivesse chegado" ou "se tal pessoa não tivesse morrido", o que sempre mostra como tal acontecimento influencia na história. Além de também haver coincidências, fora do núcleo de personagens que pode acontecer em qualquer lugar, tipo desastres naturais e tal.
A trilha sonora usa muitas peças clássicas, que alguém com maior conhecimento em música que eu poderia achar muito mais interessante. Até a opening, que é focada no Reinhard e na ending, que é focada no Yang, demonstram o peso que cada personagem carrega, além de terem letras maravilhosas.
O interessante desse anime é que ele foi lançado ao longo de 9 anos, 1988-1997, então a animação vai melhorando muuito com o tempo. Aliás, falando em animação, mesmo sendo antigo e tendo poucos recursos gráficos, por talvez ser uma série de OVAS a qualidade sempre manteve impecável, tu nunca vê uns bagulho torto. Além disso, o traço dos personagens, como o Reinhard mostra como ele é "divino" e o Yang como é alguém mais "normal" e os personagens no geral têm aspectos mais humanos que a maioria dos animes.

Então, eu nem sei se eu consegui falar tudo que eu gostei desse anime porque toda hora eu lembro algo mais, mas é com certeza uma das obras mais lindas e bem escritas já feitas. Eu quero muito ler a novel original também, apesar de dizerem que é uma adaptação perfeita. Vai lançar um remake parece esse ano, então tem muita gente apreensivo que vai ser em CG ou que não adaptem de um jeito tão bom como os OVA's, mas eu quero ver. Na minha opinião nem precisava de remake, mas é bem vindo do mesmo jeito. Existem uma porrada de side stories e um filme pra ver, então ainda não vai dar saudade tanto assim haha
10
Responder
 #635
Kizumonogatari - I, II e III

Finalmente assisti Kizu e poderei tirar o atraso com os monogataris, ou ao menos é o que eu pensava...

Minha ideia era assistir Kizu e partir pra Koyomi e depois Owari 2 mas parece improvável que eu consiga continuar sem reassistir tudo. Historias tipo monogatari que criam e resolvem mistérios se aproveitando da não cronologia na hora de passar informações podem ser frustantes em determinadas situações onde tu se sente incomodado por não ter total controle/entendimento do que está acontecendo mas ao mesmo tempo, quando finalmente chega o momento onde o leitor está empoderado das ditas informações é como se a historia se tornasse outra completamente diferente. Eu cheguei a começar a reassistir, agora na ordem semi-cronológica, e é outro anime. Monogatari é incrível e infeliz ou felizmente por causa disso demorarei mais um pouco antes de chegar em Koyomi.

Dito isso tem muitas coisas que me incomodam na historia. Algumas coisas que incomodam pouco, como por exemplo, a motivação dos personagens. Com tudo que já foi apresentado em monogatari eu consigo compreender o motivo pelo qual a Hanekawa e até a Kiss-shot agem/agiram desse jeito. Depois de conhecer mais a fundo a Hanekawa, a maneira como ela se aproxima do Araragi, a principio sem motivo aparente, e se sacrifica por ele deixa de ser algo absurdo pra parecer apenas a ordem natural das coisas. O mesmo vale pra Kiss-shot e o posicionamento dela sobre a própria morte. Agora no caso do Araragi eu ainda não fui convencido. A verdade é que até onde eu já vi o pouco que foi apresentado sobre o passado do Araragi está no que envolveu a Sodachi e isso não foi o suficiente pra mim pra construir o Araragi como um personagem com a chamada "Sindrome do Shirou" de querer se tornar um herói da justiça ao ponto de encontrar uma decepada falante no metro e oferecer a própria vida pra salvar ela. Eu acredito que eventualmente teremos alguma coisa que explora isso melhor, fica implícito que o Araragi-pré-kizu não dava valor pra própria vida por se considerar uma falha mas dai pra deixar de livre vontade uma loira peituda arrancar seu sangue acreditando que isso vai levar a morte certa é outros 500. Mas, como disse, essa é a parte que me incomoda pouco.

A parte que incomoda até o âmago da minha existência é a existência da Senjougahara a escolha do Araragi. Antes de Kizu eu botava a culpa de tudo que não me agradava na Senjougahara mas agora percebo que a Senjougahara, assim como talvez a Sodachi, não fez nada de errado. A verdade é que, novamente, é apenas natural que a Senjougahara se apaixone pelo Araragi. O que não é natural é o Araragi aceitar o pedido de namoro dela depois de tudo que ele passou com a Hanekawa. Eu achava o posicionamento do Araragi aceitável antes de Kizu por acreditar que ele tinha a habilidade Protagonista Denso +10 e que não sabia que a Hanekawa era apaixonada por ele porém conhecendo agora os acontecimentos de Kizu isso seria impossível até mesmo pro Kodaka. Hanekawa se oferece pra ter o rosto mastigado por um vampiro até a morte pra salvar o Araragi, se isso não é amor eu quero uma amiga dessas. Eu sinceramente tenho dificuldade de entender. O Araragi estava tão desesperado por uma namorada que quando apareceu a primeira oportunidade ele pegou? Aconteceu algo magico, como por exemplo, ele ter sido afetado pela Kai do amor a primeira vista e por isso ele aceitou a Senjougahara? Não me entendam errado, ao final de Nadeko Medusa eu passo a considerar perfeitamente justificável o amor do Araragi com a Senjougahara mesmo com a Hanekawa tendo se fodido quase tanto ou tanto quanto a Senjougahara pra ajudar. O problema pra mim está no Araragi aceitar durante a First Season num momento onde, ao meu ver, ele tinha um laço muito mais forte com a Hanekawa do que com a Hitagi. Visto isso tudo depois de kizu eu parei de considerar o Araragi um dos meus personagens favoritos. TL;DR: mimimi meu barco afundou Foi assim que os fãs da Kuroneko se sentiram?

No mais a arte visual e sonora desses filmes foi incrível. Eu gosto muito como o estilo da arte se adapta ao que a historia pede no momento. Quando há um dialogo que tenta construir melancolia ou trazer no espectador sensações que ele já pode ter experimentado em vida para que ele possa se identificar com os personagens são utilizadas fotos e gravações de lugares reais junto da animação. Quando é um momento de desespero os traços se contorcem quase como se o animador estivesse passando pelo mesmo desespero na hora de desenhar. E, claro, em momentos onde os personagens estão confusos a arquitetura dos lugares deixa de ser algo compreensível pra se tornar algo confuso e misterioso como o que está sendo debatido ou apresentado. Os sons do filme também tavam top. Destaque pro barulho de helicóptero quando era câmera de helicóptero e o barulho de serra elétrica quando a Kiss-shot arrasta a cabeça do Araragi na parede. Outra escolha que gostei bastante quanto ao som foi a voz da Hanekawa se tornar mono em alguns momentos chave pra dar ideia de sussurro ou pra localizar ela no espaço quando a câmera esta em primeira pessoa no Araragi. Não acho que essas técnicas ficariam boas em qualquer coisa mas em monogatari em especifico é uma combinação perfeita.
Responder
 #636
Olha Esteves, sinceramente, eu já tive esse mesmo questionamento.
Depois que acabei de ler Neko Kuro, eu fiquei uma semana pensando na decisão do Araragi de não prosseguir com algo mais sério com a Hanekawa, e cheguei em uma conclusão aceitável, para mim, com base no que eu li.
Eu reitero sua decisão, reassista a série, Neko Kuro e Neko Shiro mostram mais o mindset do Araragi e da Hanekawa, sobre toda essa questão deles se envolverem ou não e talvez te dê embasamento para entender o que raios passou pela mente do Araragi.
Só digo que é realmente um dos marcos da série toda, o "abandono" da paixão que o Araragi tinha pela Hanekawa.

Uma coisa que eu posso afirmar é que ler Kizu e assistir Kizu são experiencias totalmente diferentes.
Eu realmente não posso traçar todas as diferenças, pois faz bastante tempo que li a novel, mas eu estranhei bastante a Hanekawa do filme, acho que ela passa uma ~vibe~ diferente.
Desde que as adaptacões começaram a serem feitas, foram surgindo divergencias entre quem já leu o material original sobre o relacionamento do Araragi vs Hitagi vs Hanekawa.
Por isso, recomendo bastante tu comprar as novels de Monogatari traduzidas pela Vertical, assim já eliminaria qualquer dúvida existente sobre isso. (Ou procurar as traduções de Kizu e Neko Kuro, acho que até Neko Shiro foi traduzido)
Neko Kuro já foi lançado, e Neko Shirou sai no fim de Janeiro.
Agora, vá rushar todas as temporadas e não deixe de postar aqui as suas novas impressões sobre a série <3
Responder
 #637
Farei isso, Luz, e espero chegar numa conclusão assim como você. Sobre comprar as LNs eu tenho vontade mas to pensando em pegar algumas em quantidade pra poder aproveitar o frete. Tu comprou na amazon né? Quanto foi o frete prai?
Responder
 #638
Em nenhuma das vezes que eu comprei eu paguei frete, pois sempre pegava 3 ou 2 livros, que davam mais de 100 conto, aí entrava naquela promoção de frete grátis.
Responder
 #639
puta que pariu, Unbreakable Machine-doll é bom demais meu irmão
Responder
 #640
Digimon Adventure tri. 3: Kokuhaku

Lembrei esses dias q não tinha visto os filmes depois do 2 o jeito foi ver pelo celular msm. Esse terceiro filme meu amigo foi puro feels pela possibilidade do digimundo ser reiniciado(o q aconteceu) e os digimons esquecerem dos parceiros, deu nem pra aproveitar as lutas com esse sentimento, TyrantKabuterimon(tentomon) brilhou demais nesse filme pqp.

Digimon Adventure tri. 4: Soushitsu

Com a volta deles pro digimundo bateu aquela nostalgia(faltou so a Angelica cantando ya ser foda), tudo bem os digimons terem perdido a memoria e talz, mas Piyomon se mostrou uma tremenda de uma puta sem coração, todo mundo "de boa" com os parceiros e ela na maior putaria com a Sora. Mas no fim deu tudo certo menos pra Meiko e pra Meicoomon, fora q Himekawa completamente obcecada pelo digimon dela, arquitetando os planos maleficos por baixo dos panos, por essa eu n esperava-q.
Responder
 #641
Double post msm pq eu quis

Digimon Adventure tri. 5: Kyousei

Melhor filme ate agora, achei q ia terminar com eles no digimundo msm, com a volta a terra as coisas pareciam se acertar, a parte da escola foi bem divertida principalmente as historias de terror, Tai chegando na Meiko(boto fé) Agumon melhor digimon. Gatomon fazendo merda outra vez por causa Homeostasis(confesso q com tantos nomes me confundo com qual é qual mas acho q era Homeostasis q quer acabar com gatomon msm). A volta ao digimundo(outra vez) foi o ponto alto, porradaria franca sem perder a amizade, digimons bolados e podersinho pra todos os lados. Não esperava a suposta morte do Tai, ele nem deve ter morrido protagonismo tai pra isso, mas n esperava que a Hikari tiltasse tanto com aquilo dando a merda q deu, sdds tailmon.

Dgimon adventure

arco File Island(Ep 1~13 acho)

Pra um anime q vi a 15 anos mais ou menos me empolgo demais, mesmo já sabendo tudo q vai acontecer e sendo bem infantil(o anime). Comparada com a versão BR que na época era "oh meu Deus incrível!", a original é infinitamente melhor, principalmente no quesito musical. A abertura BR era legal há 15 anos, mas a japonesa chega a ser injusta a diferença, e muito melhor. Nos momentos de tensão aparece uma guitarra do limbo mas é muito boa. Mimi melhor garoto(fato engraçado, na primeira vez q assisti a eu tinha um capote pela mimi, meu amigo o negocio era triste).
Responder
 #642
Kimi no Na wa.

Não sabia se postava isso no tópico de filmes ou aqui, mas acho que aqui é melhor. Comentei outros filmes do Shinkai nesse tópico. Enfim:

Makoto Shinkai é meu diretor japonês favorito. Sendo assim, já assisti todas as suas obras, de comerciais produzidos como propaganda para algumas marcas japonesas até seus curtas musicais e filmes mais longos.

Kimi no Na wa. (ou Your Name) tornou-se o filme animado de maior bilheteria da história de Japão. Foi aclamado pela crítica e público geral. Criou uma legião de fãs. E não, eu ainda não havia assistido. O fato é que eu enrolei por vontade de esperar o momento certo. Deixei passar a euforia pra curtir o que podia ser a maior obra do meu diretor de animações favorito. E milagrosamente, tomei zero spoilers de 2016 até agora.

As obras do Shinkai sempre mexem comigo, e após assisti-la, julgo Your Name como sua obra-prima. A impressão que este filme me passou é de que todas suas obras anteriores serviram como aquecimento. Aqui, senti a presença das características típicas das obras do Shinkai, porém criando uma história única, com ideias tiradas de suas histórias prévias.

Parte do visual (fantástico em todos os filmes) especialmente da cratera do filme, remetem diretamente a Hoshi wo Ou Kodomo. A ideia da distância e timeskip, com troca de mensagens e interesse amoroso, foi utilizada em Hoshi no Koe (seu curta sci-fi româtinco), e também em Byousoku 5 Centimeter. Em Kotonoha no Niwa, Shinkai explorou parte da vida adulta de um designer e seus encontros esporádicos com uma mulher mais madura, e parte dessa vida é refletida especialmente na reta final de Your Name. Acho que pra completar o combo faltou somente aparecer um gato na história (outra característica típica das obras dele. Sempre tem um gato). Trem/metrô nem se fala. Até na história "apocaliptica" Kumo no Mukou, Yakusoku no Basho ele enfiou trens.

Mas como uma reunião de ideias que já foram apresentadas antes poderia ser algo único e inovador? Acho que o grande destaque fica para a maneira muito tocante com que ele desenvolve a relação dos protagonistas. Também é o ápice do desenvolvimento de uma relação que já vi em todas suas histórias.

As obras do Shinkai não explicam muito, apenas apresentam conceitos e o foco está nos personagens. Your Name não é diferente. Se você buscar por respostas em tudo, a graça do filme se perde rapidamente.

E o filme te faz rir, ficar aflito, chorar e torcer pelos protagonistas. Ao mesmo tempo, possui uma das melhores trilhas sonoras dos filmes do Shinkai (a competição é ferrenha, todos seus filmes são lindamente orquestrados), e atingiu o ápice da qualidade da animação. Esperei por um final mais "cru" até o último segundo, mas fui recompensado com um fim satisfatório demais. E uma música de tirar o fôlego pra curtir enquanto você está se debulhando em lágrimas.

Estou genuinamente curioso para saber o que virá a seguir, pois ele terá que ralar muito pra entregar algo a altura, e mais ainda para entregar algo superior.

Um gênio que caminha nessa Terra ingrata. 10/10
Responder
 #643
(09/07/2018, 16:45)AcoyKujo Escreveu: Estou genuinamente curioso para saber o que virá a seguir, pois ele terá que ralar muito pra entregar algo a altura, e mais ainda para entregar algo superior.

Eu não duvido de que ele vá conseguir, afinal Makoto é um mito
Responder
Páginas (43): « Anterior 1 ... 39 40 41 42 43

Usuários visualizando este tópico: 3 Visitantes